E Assim eu sei...

"Saber que sabemos o que sabemos, e saber que não sabemos o que não sabemos isso é conhecimento verdadeiro." Copérnico
Ocorreu um erro neste gadget

Translate

Seja Muito Bem-Vindo!

Este espaço é para que possamos refletir juntos sobre diferentes assuntos, e para isso, Sinta-se em Casa!
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

sexta-feira, agosto 15, 2014

A Maior Voz do Brasil

Uma homenagem singela a Maria Bethânia
Maria Bethânia Viana Teles Velloso , nascida em Santo Amaro da Purificação em 18 de Junho de 1946, Bahia. Participou, na juventude, de peças teatrais ao lado de seu irmão, o cantor Caetano Veloso e de outros cantores proeminentes da época como Gal Costa de Gilberto Gil. 
Em 1965, mudou-se para o Rio de Janeiro onde começou sua carreira musical substituindo a cantora Nara Leão no espetáculo Opinião. No mesmo ano, assinou contrato com a gravadora RCA e lançou seu homônimo álbum de estréia. 
Em 1978, Bethânia tornou-se a primeira cantora brasileira a vender mais de um milhão de cópias de um único disco, com o álbum Álibi. Tendo lançado 50 álbuns de estúdio em 47 anos de carreira, a cantora está entre os 10 artistas com maior número de vendagem de discos no Brasil, com cerca de mais de 29 milhões de cópias vendidas.
Bethânia foi eleita a 5ª Maior Voz da Música Brasileira, de todos os tempos, pela conceituada revista Rolling Stone Brasil. Ficando atrás somente de 4 cantores já falecidos ou seja, Bethânia seria atualmente a maior voz do Brasil (segundo a Rolling Stone e a mim).

E vamos a MÚSICA!!

Não mexe comigo, que eu não ando só,

Eu não ando só, que eu não ando só.
Não mexe não!



Eu tenho Zumbi, Besouro o chefe dos tupis,
Sou tupinambá, tenho os erês, caboclo boiadeiro,
Mãos de cura, morubichabas, cocares, arco-íris,
Zarabatanas, curare, flechas e altares.
À velocidade da luz, no escuro da mata escura, o breu o silêncio a espera.
Eu tenho Jesus, Maria e José, todos os pajés em minha companhia,
O Menino Deus brinca e dorme nos meus sonhos, o poeta me contou.



Não mexe comigo, que eu não ando só,
Eu não ando só, que eu não ando só.
Não mexe não!





Não misturo, não me dobro.
A rainha do mar anda de mãos dadas comigo, 
Me ensina o baile das ondas e canta, canta, canta pra mim.
É do ouro de Oxum que é feita a armadura que guarda meu corpo,
Garante meu sangue, minha garganta.
O veneno do mal não acha passagem
E em meu coração Maria acende sua luz e me aponta o Caminho.
Me sumo no vento, cavalgo no raio de Iansã, giro o mundo, viro, reviro.
Tô no recôncavo, tô em Fez.
Voo entre as estrelas, brinco de ser uma, traço o cruzeiro do sul com a tocha da fogueira de João menino, rezo com as três Marias, vou além, me recolho no esplendor das nebulosas, descanso nos vales, montanhas, durmo na forja de Ogum, mergulho no calor da lava dos vulcões, corpo vivo de Xangô.



Não ando no breu, nem ando na treva
Não ando no breu, nem ando na treva
É por onde eu vou, que o santo me leva
É por onde eu vou, que o santo me leva



Medo não me alcança.
No deserto me acho, faço cobra morder o rabo, escorpião vira pirilampo.
Meus pés recebem bálsamos, unguentos suaves das mãos de Maria
Irmã de Marta e Lázaro, no Oásis de Bethânia.
Pessoa que eu ando só, atente ao tempo. Não começa, nem termina, é nunca é sempre.
É tempo de reparar na balança de nobre cobre que o rei equilibra, fulmina o injusto, deixa nua a Justiça.



Eu não provo do teu fel, eu não piso no teu chão,
E pra onde você for, não leva o meu nome não
E pra onde você for, não leva o meu nome não



Onde vai valente?
Você secou, seus olhos insones secaram, não veem brotar a relva que cresce livre e verde longe da tua cegueira.
Seus ouvidos se fecharam à qualquer música, qualquer som, nem o bem, nem o mal, pensam em ti, ninguém te escolhe.
Você pisa na terra mas não sente, apenas pisa.
Apenas vaga sobre o planeta, e já nem ouve as teclas do teu piano.
Você está tão mirrado que nem o diabo te ambiciona, não tem alma.
Você é o oco, do oco, do oco, do sem fim do mundo.



O que é teu já tá guardado.
Não sou eu quem vou lhe dar,
Não sou eu quem vou lhe dar,
Não sou eu quem vou lhe dar





Eu posso engolir você, só pra cuspir depois.
Minha fome é matéria que você não alcança.
Desde o leite do peito de minha mãe, até o sem fim dos versos, versos, versos, que brotam do poeta em toda poesia sob a luz da lua que deita na palma da inspiração de Caymmi.
Se choro, quando choro, e minha lágrima cai, é pra regar o capim que alimenta a vida, chorando eu refaço as nascentes que você secou.
Se desejo, o meu desejo faz subir marés de sal e sortilégio.
Vivo de cara pra o vento na chuva, e quero me molhar.
O terço de Fátima e o cordão de Gandhi, cruzam o meu peito.
Sou como a haste fina, que qualquer brisa verga, mas nenhuma espada corta.



Não mexe comigo, que eu não ando só
Eu não ando só, que eu não ando só
Não mexe comigo!

Composição: Maria Bethânia /  Paulo César Pinheiro


sexta-feira, maio 30, 2014

Garoto de Aluguel

        José Ramalho Neto, (Brejo do Cruz, 3 de outubro de 1949), mais conhecido como Zé Ramalho, é um cantor e compositor brasileiro. É primo da cantora Elba Ramalho. Suas influências musicais são uma mistura de elementos da cultura nordestina (cantadores, repentistas e rabequeiros), da Jovem Guarda (Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Golden Boys e Renato e seus Blue Caps), a sonoridade dos Beatles e a rebeldia de The Rolling Stones, Pink Floyd, Raul Seixas e, principalmente, Bob Dylan. Há elementos da mitologia grega e de histórias em quadrinhos em suas músicas.
         Uma de suas músicas mais influentes foi a que vos apresento da década de 80, Garoto de Aluguel.


Baby!
Dê-me seu dinheiro
Que eu quero viver
Dê-me seu relógio
Que eu quero saber
Quanto tempo falta
Para lhe esquecer
Quanto vale um homem
Para amar você

Minha profissão
É suja e vulgar
Quero um pagamento
Para me deitar
E junto com você
Estrangular meu riso
Dê-me seu amor
Que dele não preciso

Oh! Oh! Oh!
Oh! Oh! Oh!
Oooooooooh!

Baby!
Nossa relação
Acaba-se assim
Como um caramelo
Que chega-se ao fim
Na boca vermelha
De uma dama louca
Pague meu dinheiro
E vista sua roupa

Deixe a porta aberta
Quando for saindo
Você vai chorando
E eu fico sorrindo
Conte pras amigas
Que tudo foi mal
(Tudo foi mal!)
Nada me preocupa
De um marginal

Oh! Oh! Oh!
Oh! Oh! Oh!
Oooooooooh!

Baby!
Dê-me seu dinheiro
Que eu quero viver
Dê-me seu relógio
Que eu quero saber
Quanto tempo falta
Para lhe esquecer
Quanto vale um homem
Para amar você

Minha profissão
É suja e vulgar
Quero um pagamento
Para me deitar
E junto com você
Estrangular meu riso
Dê-me seu amor
Que dele não preciso

Oh! Oh! Oh!
Oh! Oh! Oh!
Oooooooooh!

Baby!
Nossa relação
Acaba-se assim
Como um caramelo
Que chega-se ao fim
Na boca vermelha
De uma dama louca
Pague meu dinheiro
E vista sua roupa

Deixe a porta aberta
Quando for saindo
Você vai chorando
E eu fico sorrindo
(Vá!)
Conte pras amigas
Que tudo foi mal
(Tudo foi mal!)
Nada me preocupa
De um marginal

Oh! Oh! Oh!
Oh! Oh! Oh!
Oooooooooh!
Oooooooooh!

domingo, maio 25, 2014

Faço o Despertar do Galináceo

Faço o despertar do galináceo,me deparo com o céu coberto por um tinta escura heterogênea, pois amarelos reluzem de lá. O vento frio corta a roupa, corta a carne, corta a alma, e me deparo com o vazio. Vazio esse sombrio que arrepia os pelos, arregala os olhos, despedaçam a alma em porções ínfimas de puro medo.
Por instantes rodeiam-me com sons, corpos, luzes, mas continuo sozinho. Sentado por horas esperando chegar ao meu destino. Destino esse certo e incerto, repleto de faces, nada familiar, que por sí só não me dizem nada, e mais uma vez sozinho.
Atravesso ruas, avenidas, becos para poder longe de ti fazer de momentos a sós um futuro que possa valer a pena. Isolado em alguns metros quadrados, amigo das maquinarias... Nesse momento me pego falando sozinho com os equipamentos mais diversificados que possam habitar no meu outro lar.



E assim fico, aparecem pessoas, somem pessoas, e eu permaneço... Permaneço sozinho. Para chegar ao pai, 3 horas, e para chegar a mãe, 4 horas... Para chegar ao amor, depende... Estando livres de 3 a 4 horas, caso contrários, acrescente mais 3 horas e assim é.
E quais opções tenho? Fugir desse aglomerado de concreto e maquinarias e ser pleno no âmbito pessoal ou então enfrentar todo esse caos, não ser ser pleno no âmbito pessoal, mas buscar essa plenitude daqui a pouco.
Pouco? Nem sei o que é ser pouco... pouco são os sonhos que tenho durante a noite, e que agora duram 5 horas, pouco são os momentos que tenho para repor as energias perdidas, pouco é o limiar entre atravessar a rua e ser abordado, pouco é... pouco...
Minha cabeça gira, flutua, marca passos, não estou bem. Mochila pesada nas costas, alimento para o dia na mão esquerda, na direita um cartão qualquer e aí começa tudo novamente. Será que aguento? Será que devo persistir? De onde tirar essa força que me serve de alimento para todos esses momentos?

                     

A resposta é simples, daqui! Dessa minha perturbação, implicância, que faço hora por impulso para obter um abraço, mas o afasto, que faço sem perceber... Não é fácil! Nem para mim, nem para ti. Dividimos medos, angústia, lágrimas, dividimos momentos que permanecerão em minha mente até que o fósforo não seja mais capaz de gerar energia e minhas mitocôndrias entrem em colapso, os neurônios se desintegrem e do pó viestes, ao pó retornará.
Por tudo isso, não me ignore, despreze, não me deixe solto, me envolva... E para isso não precisa estar perto, “quem foi que disse que para estar junto precisa estar perto”?

Faltam menos de 24 horas para me despedir, e nunca sabemos o tempo que pode levar para mais uma troca de olhar, uma troca de carinho, uma troca de conforto. Não me troca!

Luiz Philippe Sergio

sexta-feira, maio 09, 2014

Aos meus companheiros do Trem da Vida

Teresópolis, 30 de Abril de 2014

Aos meus alunos do primeiro ano do ensino médio CSP,

Há algum tempo, li um livro que comparava a vida à uma viagem de trem. Achei interessante, enquanto lia percebi que quando nascemos entramos nesse trem e nos deparamos com algumas pessoas que julgamos, estarão sempre nessa viagem conosco; nossos pais. Infelizmente, isso não é verdade. 
Em alguma estação eles descerão e nos deixarão  órfãos de seu carinho, amizade e companhia insubstituível... Mas isso não impede que, durante a viagem, pessoas interessantes e que virão a ser super especiais para nós, embarquem. 
Chegam nossos irmãos, amigos e amores maravilhosos! Muitas pessoas tomam esse trem, apenas a passeio. Outros encontram nessa viagem, somente tristezas. Ainda outros circularão pelo trem, prontos para ajudar a quem precisa. 
Muitos descem e deixam saudades eternas, outros tantos passam por ele de uma forma que, quando desocupam seu acento, ninguém nem sequer percebe. Curioso é constatar que alguns passageiros, que nos são tão caros, acomodam-se em vagões diferentes dos nossos.

Portanto, somos obrigados a fazer esse trajeto separados deles, o que não impede, é claro, que durante o trajeto, atravessemos com grande dificuldade nosso vagão e cheguemos até eles... Só que, infelizmente, jamais poderemos sentar ao seu lado, pois já terá alguém ocupando esse lugar.
Não importa, é assim a viagem: cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, despedidas... Porém, jamais retornos. Façamos essa viagem então, da melhor maneira possível, tentando nos relacionar bem com todos os passageiros, procurando em cada um deles o que tiverem de melhor.
Lembrando sempre que, em algum momento do trajeto, eles poderão fraquejar e provavelmente precisaremos entender isso, porque nós também fraquejaremos muitas vezes e, com certeza, haverá alguém que nos entenderá. 
O grande mistério afinal é que jamais saberemos em qual parada desceremos, muito menos nossos companheiros, nem aquele que está sentado ao nosso lado. 

Eu fico pensando, se quando descer desse trem, sentirei saudades... Acredito que sim: Separar-me de alguns amigos que fiz nessa viagem; Deixar meus filhos continuarem a viagem sozinhos. Mas me agarro na esperança de que, em algum momento, estarei na estação principal e terei a grande emoção de vê-los chegar com uma bagagem que não tinham quando embarcaram... E o que vai deixar-me feliz será pensar que eu colaborei para isso.
Bem, meus queridos, o nosso colégio é esse trem, e neste ano fomos colocados no mesmo vagão, começamos a trilhar nosso caminho juntos, conhecendo-nos um pouco, vendo o quanto somos iguais e diferentes, o quanto podemos ser amigos e levar essa amizade até a estação final ou além. 

 Turma 211
 Turma 212

 Turma 213

 Turma 214

O nosso trem tem por objetivo chegar até dezembro com nossas bagagens cheias, onde lá nos despediríamos mas poderíamos retornar ao trem, no mesmo vagão ou não, mas a vida não segue caminhos certos, assim como os trilhos do trem.  O nosso trem parou em uma estação, e com alegria, sensação de dever comprido, orgulho de ter feito amigos e uma pontinha de saudade me despeço de vocês, chegou a minha estação. 
Terei de descer deste trem, e embarcar noutro vagão, mas para isso terei de deixar vocês, meu lugar será preenchido por outrem, saudades e amizades levarei, inclusive de nossas conversas sobre jogos, e pokémons, além  de coisas sem sentido que fazem de nossas manhãs e tardes mais alegres, invasões de alguns alunos nas minhas aulas noutras turmas, e por aí vai... Saibam que mesmo em outros vagões ao longo deste trem, podem contar comigo para o que der e vier.
Como diria um dos meu alunos, e nessa não poderei citar seu nome, mas que por sinal acha que eu não gosto dele (e não tens razão), uma coisa que ele não leu do livro é que não podemos descer do trem e pensar em coisas que poderíamos ter feito dentro do vagão, e o mesmo acredita que tudo o que fazermos é para que não nos arrependamos e possamos assim crescer cada vez mais, e eu... Eu concordo!

Um Forte Abraço e Saudações Biológicas

Luiz Philippe Sergio


E por falar em coisas sem noção... Ai vão...









Obrigado de coração a todos pelo carinho, dedicação, compreensão e força.
O meu, muito obrigado!!

sexta-feira, abril 25, 2014

Biologia Primária


Recordamos um pouco de coisas que o grande estudo da vida pode nos proporcionar ao longo de nossa jornada, por exemplo, sabe aquelas organelas celulares que vira e mexe aparecem em questões de vestibular?
Então, tal qual os retículos endoplasmáticos, o complexo de Golgi, os lisossomos e os peroxissomos, sem mencionar as mitocôndrias e os cloroplastos, pois bem, é sempre importante saber o por quê as células necessitam dessas organelas, mas é importante também, saber em que tipos celulares elas são bem abundantes, por exemplo, as mitocôndrias são muitíssimo importantes para os espermatozoides, já que os mesmos necessitam de muita energia para se locomover através do flagelo. E as outras organelas?!


Mas não só isso se torna importante, por que é possível citar que mitocôndrias e cloroplastos já foram bactérias e que atualmente são organelas celulares, será somente porque ambos apresentam DNA e RNA?! Deve sempre ter algo a mais, concorda?!
Bem, mas uma coisa eu tenho certeza, as proteínas estão aí para tudo, vindas a partir do RNA mensageiro, ribossômico e transportador, sendo sintetizada no Retículo endoplasmático rugoso, passando pelo Golgi para modificações necessárias, chegando até serem eliminadas das células para compor a matriz extracelular, pois bem, via importante essa que define por exemplo a leveza de nossa pele quando pensamos no colágeno.
Seja para a celulose que é encontrada em todos os órgãos vegetais, assim como para os carboidratos que fazem parte da membrana plasmática e dessa maneira forma o glicocálice, porém deve-se recordar onde se encontra a parede primária das células vegetais e recordar que se não fosse ela, a lise desse ipo de célula seria imediato, certo?!
As vezes me deparo com estruturas tão simplórias e importantíssima quanto as junções entre as células, e de cara me recordo do desmossoma, caraca, importantíssimo para auxiliar as células contra todas essas pressões que sofrem, a exemplo do cavalo, animal pesado, que ao deitar necessita e muito dessa junção para evitar uma série de lesões em seus tecidos... a biologia é bela né?!

                       

Osmose e os transportes passivo (difusão simples e facilitada) e ativo (bomba de sódio e potássio), o que seria de todos nós sem eles? Importantes quando se define bem uma solução hipertônica e outra hipotônica, mas não esqueçamos da isotônica, muito bem estudada em química, porém, elas servem e muito para as membranas semipermeáveis biológicas. E por falar de membranas... Seus prolongamentos que influenciam no aumenta de área para absorção de nutrientes, nossos intestinos e rins agradecem.
Enquanto estamos lendo isso, o nosso sistema nervoso trabalha ativamente na condução de estímulos visuais e auditivos, pois tenho certeza que vocês não estão no silêncio absoluto, e esses estímulos se direcionam para as áreas de interpretação no cérebro, logo a gente aprende. Mas para isso tudo acontecer, precisamos de energia, ATP, e ATP precisa de fósforo na sua composição, pois sem ele nada feito, nada de entender biologia, nada de entender nada!
Sabe aquela famosa figurinha da insulina e do glucagon, que são importantes para capturar glicose, e eles dependendem de receptores específicos, assim como de proteínas canais para permitir a entrada da insulina, pois é... glicose é energia, não é? E energia é ATP, quanta coisa depende uma da outra. Quanta confusão, e que se torna clara...
Sabe de uma coisa, me bateu uma sede agora, opto por beber água, pois ela é capaz de catalisar reações químicas, atuar no equilíbrio osmótico, participa ativamente das reações de hidrólise e sem dizer de transportar moléculas né, mas agora depois que a água for absorvida pelas minhas células uma coisa ela não fará... ser um solvente universal, mas por quê?!


Quase me esqueço da importância da fagocitose e da pinocitose, esta última por exemplo, auxilia na passagem de substâncias pelo envoltório nuclear, a fagocitose nem preciso comentar né, nossos macrófagos estão aí para isso!
Mas como diria Stephen R. Covey, todo ser uma humano tem quatro dons: autoconhecimento, consciência, vontade independente e imaginação criativa. E esses dons nos dá a liberdade humana decisiva... O poder de escolher, responder e mudar... Eu se estivesse no seu lugar agora, escolheria estudar, responderia a cada dúvida que pudesse surgir e mudaria a partir de agora os meus objetivos de vida, elevando-os ao maior patamar possível, pois sei que as forças necessárias para isso se encontram dentro de cada um de nós.

Saudações Biológicas


Luiz Philippe Sergio,
 eterno apaixonado por lecionar.

quinta-feira, abril 24, 2014

Procura-se um amigo

Uma coisa extremamente importante sobre amizade aprendi com Vinícius de Moraes!
Aprendi que estou constantemente procurando um amigo (a), sabe, simplesmente amigo (a)...
Mas faço algumas especificações, vinte e uma ao total, sou um pouco exigente,
será que você se encaixa nelas, confira: 



  1. Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimento, basta ter coração.
  2. Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir.
  3. Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto dos ventos e das canções da brisa.
  4. Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor.
  5. Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo.
  6. Deve guardar segredo sem se sacrificar.

                       

  7. Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão.
  8. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados.
  9. Não é preciso que seja puro, nem que seja de todo impuro, mas não deve ser vulgar.
  10. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa.
  11. Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo.
  12. Deve sentir pena das pessoas tristes e compreender o imenso vazio dos solitários.


                                     

  13. Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer
  14. Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova, quando chamado de amigo. 
  15. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grande chuvas e das recordações de infância.
  16. Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade.
  17. Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.
  18. Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo.
  19. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar.
  20. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas.
  21. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive

    Uma sincera homenagem aos meus bons, novos e velho amigos (as).
    Luiz Philippe Sergio

sexta-feira, abril 11, 2014

Vamos falar dos Pais Maus!

 Uma vez estava procurando matérias sobre diferentes assuntos na internet e me deparei com um texto do Dr. Carlos Hecktheuer e ao lê-lo deparei praticamente com a história da minha vida, talvez você que pensa ter pais maus precisam conhecer os meus e perceba...

"Um dia, quando eu tiver os meus filhos e eles forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva pais e mães, eu hei de dizer-lhes:
- Eu os amei o suficiente para ter-lhes perguntado aonde vão, com quem vão, e a que horas regressarão.
- Eu os amei o suficiente para não ter ficado em silêncio, e fazer com que vocês soubessem que aquele novo amigo não era boa companhia.
- Eu os amei o suficiente para fazê-los pagar os doces que tiraram do supermercado, ou revistas, do jornaleiro, e fazê-los dizer ao dono: "Nós tiramos isto ontem, e queríamos pagar".
- Eu os amei o suficiente para ter ficado em pé, junto de vocês, duas horas, enquanto limpavam o quarto, tarefa que eu teria feito em 15 minutos.
- Eu os amei o suficiente para deixá-los ver, além do amor que eu sentia por vocês, o meu desapontamento e também as lágrimas nos meus olhos.
- Eu os amei o suficiente para deixá-los assumir a responsabilidade das suas ações, mesmo quando as penalidades eram tão duras que me partiam o coração.
- Mais do que tudo, eu os amei o suficiente para lhes dizer NÃO, quando eu sabia que vocês poderiam me odiar por isso (e em alguns momentos até me odiaram).

Essas eram as mais difíceis batalhas de todas.

Estou contente, venci... Porque, no final, vocês venceram também! E qualquer dia, quando os meus netos forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva pais e mães; quando eles perguntarem se os seus pais eram maus, os meus filhos vão lhes dizer:

      "Sim, os nossos pais eram maus. Eram os piores do mundo. As outras crianças comiam doces no café e nós só tínhamos que comer cereais, ovos, torradas. As outras crianças bebiam refrigerantes, comiam batatas fritas e sorvetes no almoço, e nós tínhamos que comer arroz, feijão, carne, legumes e frutas. Nossos pais tinham que saber quem eram os nossos amigos e o que nós fazíamos com eles.

      Insistiam em que lhes disséssemos com quem íamos sair, mesmo que demorássemos apenas uma hora ou menos. Nossos pais insistiam sempre conosco para que lhes disséssemos sempre a verdade, e apenas a verdade.
    E, quando éramos adolescentes, eles conseguiam até ler os nossos pensamentos. A nossa vida era mesmo chata! 
    Nossos pais não deixavam os nossos amigos tocarem a buzina para que saíssemos; tinham que subir, bater à porta, para que os nossos pais os conhecessem.

    Enquanto todos podiam voltar tarde da noite, com 12 anos, tivemos que esperar pelo menos até os 16 para chegar um pouco mais tarde; e aqueles chatos levantavam para saber se a festa foi boa (só para verem como estávamos, ao voltar).
    Por causa dos nossos pais, nós perdemos imensas experiências na adolescência: nenhum de nós esteve envolvido com drogas, roubo, atos de vandalismo, violação de propriedade, nem fomos presos por crime algum.
                                
                                      FOI TUDO POR CAUSA DOS NOSSOS PAIS!
 Agora, que já somos adultos, honestos e educados, estamos fazendo o melhor para sermos
 PAIS MAUS, como eles foram".
                     EU ACHO QUE ESTE É UM DOS MALES DO MUNDO DE HOJE:
                                          NÃO HÁ PAIS MAUS O SUFICIENTE!


Eis os pais mais maus, os meus pais, e por tudo o que aprendi com eles, sou eternamente grato.
Grato o suficiente para dedicar todas as minhas obras à eles, 
Regina e Luiz Carlos.
E deixo claro o quanto os amo acima de tudo.


Luiz Philippe Sergio

sexta-feira, abril 04, 2014

Aprendendo com Animações

O que as animações têm a nos ensinar? Eis então o que podemos aprender:

O que falar sobre Intolerância?!


Trabalho em Equipe!



Superação!


Convivência!

Motivação!

Amizade!


Gentileza e Humildade!

quinta-feira, abril 03, 2014

Unifeso e A Verdade de Terê à meu Respeito em 02 de Abril de 2014

Link da Matéria Publicada: Unifeso e A verdade de Terê;

Ex-aluno do UNIFESO cursa Mestrado em Biociências na UERJ
publicado em: 02/04/14

    O biólogo Luiz Philippe Sergio, graduado pelo Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) em 2013, foi aprovado para o Mestrado em Biociências da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). “Em Biociências há uma vasta gama de disciplinas que me permitem variar da Biologia Molecular à Fisiologia”, justificou Luiz. 
          Ele conta que, apesar de gostar de atuar em sala de aula, a pesquisa o levou a conquistar novos horizontes, como em congressos e cursos práticos. “Ao longo da graduação estive inserido em monitorias e projetos de iniciação científica junto aos professores Adenilson de Souza da Fonseca, dos cursos de Medicina e Fisioterapia, e da professora Tatiane Militão de Sá, do curso de Ciências Biológicas”, contou. Entre os trabalhos que ele desenvolveu no UNIFESO estão: Efeitos moleculares e celulares do laser vermelho e infravermelho de baixa intensidade (2010); Efeitos Moleculares e Celulares de Lasers Terapêuticos (2011 e 2012); Ensino de Biologia e Educação de Surdos: Guia Prático para professores e interprete de LIBRAS/ Língua Portuguesa na perspectiva inclusiva (2012); e Estudo da indução de lesões no DNA por Lasers terapêuticos de baixa intensidade (2013). 
         “Esses projetos influenciaram minha escolha para o mestrado e me permitiram, junto aos colegas de laboratório, publicar artigos científicos na área da Fotobiologia em revistas internacionais, como autor ou coautor”, contou o biólogo, que teve pesquisas publicadas em referências da área como a Revista Photochemical & Photobiological Sciences (2013); Journal of Clinical and Experimental Dermatology Research (2012); e Revista Laser Physics Letters.
          Não poderia deixar de agradecer a algumas pessoas que diretamente e indiretamente contribuíram para mais essa minha vitória: aos meus pais Luiz Carlos e Regina, a minha irmã Carolina Jasmim, ao coordenador do curso de ciências biológicas Carlos Alfredo Franco Cardoso, ao meu orientador e amigo Adenilson de Souza da Fonseca, a minha colaboradora Flávia de Paoli, a técnica de laboratório Silvia Maciel, e aos meus amigos (as) Fabiane de Aguiar Pereira, Roberta da Silva Marciano, Fabianne Lemos, Mayara Martins, Keila da S. Canuto, Philipi Freitas Amorim e Warlley Batista Trancoso que muito contribuíram para meu crescimento.


sábado, março 29, 2014

Impossível de Esquecer

Dedico essa música as amizades que fazemos ao longo da vida, amizades essas que marcam nossa trajetória acrescentando bons ensinamentos a nossa bagagem. Aqueles que riem de nossos tombos, mas nos dão as mãos para que levantemos. 
Aqueles que riem só de olhar um para o outro sem ao menos ter motivo, que chora junto quando preciso for, mas não deixa de secar nossas lágrimas.
Amizades que se formam ao acaso, num dia de aula, num passeio a base de caminhada, num clique inevitável no Facebook... Aos amigos parentes, próximos e distantes, simplesmente amigos!!

-------------------   -------------------   -------------------   ------------------- 
Amigo é muito mais
Do que alguém pra conversar
Alguém pra abraçar

Amigo é uma benção
Que vem do coração de Deus
Pra gente cuidar

É assim que você é pra mim
Como uma pérola
Que eu mergulhei pra encontrar
É assim que você é pra mim
Um tesouro que pra sempre eu vou guardar



Amigo (a), eu nunca vou desistir de você
E pela a tua vida eu vou interceder
Mesmo que eu esteja longe
Meu amor vai te encontrar
Porque você é impossível de esquecer

Amigo (a), eu nunca vou desistir de você
E pela a tua vida eu vou interceder
Mesmo que eu esteja longe
Meu amor vai te encontrar
Porque você é impossível de esquecer

É assim que você é pra mim
Como uma pérola
Que eu mergulhei pra encontrar
É assim que você é pra mim
Um tesouro que pra sempre eu vou guardar.

Amigo (a), eu nunca vou desistir de você
E pela a tua vida eu vou interceder
Mesmo que eu esteja longe
Meu amor vai te encontrar
Porque você é impossível de esquecer

Eu acredito em você
Eu acredito nos sonhos
De Deus pra tua vida, amiga
Eu oro por você
Porque a tua vitória também é minha

Amigo (a), eu nunca vou desistir de você
E pela a tua vida eu vou interceder
Mesmo que eu esteja longe
Meu amor vai te encontrar
Porque você é impossível de esquecer

Amigo (a), eu nunca vou desistir de você
E pela a tua vida eu vou interceder
Mesmo que eu esteja longe
Meu amor vai te encontrar
Porque você é impossível de esquecer

É impossível de esquecer

Música cantada Eyshila e Fernanda Brum
Texto Inicial: Luiz Philippe Sergio
-------------------   -------------------   -------------------   -------------------